Futuro do Unimarc

Realizou-se nos dias 20 e 21 de Março na Fundação Calouste Gulbenkian organizada pela Biblioteca Nacional no âmbito das actividades da IFLA a onferência "Unimarc & friends : charting the new Landscape of library standards".
Durante dia e meio foram apresentadas diversas comunicações (em inglês) sobre o futuro do Unimarc para um público internacional (com algumas dezenas de países representados). Estivemos mais num mundo de possibilidades do que de realidades
Não vou explicar aqui tudo - tivessem ido lá! - mas deixo algumas das palavras fortes do encontro:
FRBR, FRAR, FSRAR, GARR, RDA, XML, MarcXML, MarcXchange, MODS, METS, PREMIS, e uns novos irmãos para o ISBN e ISSN (ISRC, ISWC, ISAN, ISTC, ISPI, ISCI).
Mas se pensam que pela amostra de siglas e termos técnicos foi um encontro intragável estão enganados: as comunicações foram muito acessíveis (excepto a de um conferencista russo quer pelo seu inglês e à vontade em público quer pelo tema ser muito técnico). Aliás tivemos direito a uma agradável contextualização histórica naquilo que se pode tomar como uma verdadeira operação de marketing do Unimarc.

Algumas ideias ressaltaram das comunicações:

  • O Unimarc não está absolutamente condenado mas o mundo real implica uma ligação ao XML
  • É necessário trabalhar mais para as necessidades do utilizador do que para a simples troca de registos.
  • A descrição de recursos deve ser orientada para o ambiente digital (internet) de forma multinacional e independente de formatos
  • O trabalho ao nível das autoridades afigura-se como determinante e uma das áreas onde será necessário ligar-se ao mundo real (editores à cabeça)
  • A Fereberização (de FRBR ou Functional Requirements for Bibliographic Records e correspondentes requirimentos para as autoridades e assuntos) está em marcha: as ISBD que se "cuidem"!
  • O "mundo real" quer o XML para interoperabilidade
  • O ISO 2709 como nunca se quis tornar um formato standard tem os dias contados para "coisas" baseadas em XML
  • Não se pode substituir o Unimarc no mundo das bibliotecas, alterando toda uma estrutura de registos existentes. Só uma solução de evolução poderá permitir que o mundo real e as bibliotecas interajam.
  • É preciso trazer os editores para o mundo Unimarc, que se deve tornar mais aberto e com menos sabores locais.
  • As ISBD e o XML e outros amigos do Unimarc têm de caminhar para o "mesmo lado"

Como nota final .. o Unimarc Bibliográfico teve uma actualização em Novembro 2005 (ainda só disponível em Inglês) mas já está em revisão tendo o Comité Permanente do Unimarc da IFLA reunido no dia 22 à tarde na Biblioteca Nacional para iniciar mais um processo de revisão.

Mais tarde, com tempo e paciência, voltarei a estes temas aqui lançados, que há pano para mangas.

Sites úteis: