Estatisticas do livro

A ministra da Cultura afirmou, na inauguração da Biblioteca Municipal da Golegã e como comemoração do dia do Livro, ser a "Rede de Leitura Pública um projecto de importância maior ao nível das políticas culturais" sendo que em 2005 foram inauguradas 14 bibliotecas Municipais e estão para inaugurar até ao final do ano mais 12. Na defesa do sector editorial fez ainda referência à instituição de um prémio de Edição. Mas mais importante do discurso, foi a afirmação de que o ministério vai "apostar numa estratégia de fomento da edição para deficientes". A ver vamos, já dizia o... !
Como anúncio deixou a indicação de que:

(...) a partir de Julho deste ano, o Ministério da Cultura, através do IPLB, em articulação com o Instituto Nacional de Estatística e com as associações representativas do meio, APEL e UEP, irá iniciar um estudo destinado à definição de modelos de levantamento da informação estatística relativa ao Livro, tanto ao nível da oferta editorial como das aquisições.

Será que vai ser o fim dos tops de vendas de cada livraria, supermercado e afins? Então e depois como se vendem os livrinhos se só existir um top único e fiável?! Parece-me bom demais mas o mercado musical já há muito resolveu essa situação. A única coisa que me deixa preocupado... é serem muitas entidades a gerirem esses dados que certamente darão origem a um top de vendas!

Ler discurso completo