Orphan Pamuk e o marketing literário

Orhan Pamuk foi laureado com o Nobel da Literatura 2006 o que constitui mais um momento natural de frenesim editorial em Portugal.
Sendo um escritor muito premiado nos últimos anos (e um dos candidatos crónicos nas "apostas ao Nobel") não deixa de ser pouco conhecido em Portugal.
Esta é uma situação típica... é raro ter um Nobel com sucesso editorial anterior à sua nomeação, alguns eram mesmo desconhecidos a nível editorial e dos leitores pois o facto de estar disponível para venda online nas lojas internacionais não tem o mesmo efeito que poder ser lido em Português.
O. Pamuk já tinha duas obras publicadas em Portugal e estavam planeadas para edição portuguesa outras duas, que foram agora antecipadas.
Cada atribuição do Nobel da Literatura não deixa de ser, um momento para questionar os critérios editoriais nacionais: a queixa é que não se lê em Portugal, mas os autores premiados internacionalmente são quase sempre desconhecidos em Portugal, pelo menos enquanto não se tornarem sucessos mundiais.
Ora a boa literatura (ninguém sabe dizer o que é mas muitos sabem reconhecê-la) costuma vender e durante muito tempo. Claro que não funciona no modelo actual em que o que conta são grandes tiragens e pouco tempo em armazém, com muitas livrarias a terem uma capacidad local de armazenamento muito reduzida ("virtudes" dos Centros Comerciais).
Contudo a literatura premiada, sendo mais facilmente apelativa ao marketing, cria algumas reticências no meio dos leitores/compradores mais regulares. Um paradoxo que importa ter em conta nas explicações de vendas de alguns autores.
A terminar, e como já devem ter lido/ouvido imensos comentários sobre a sua obra, deixo aqui apenas uma ligação a um excerto da obra The Snow.