BLoPEs

Nos primórdios da internet fazia-se tudo por um selo de aprovação de um site, um prémio de "Melhor site da semana", o "Melhor design", etc. Eram prémios virtuais, que representavam um reconhecimento dos pares e aumentavam a visibilidade. O sistema acabou por ser desvirtuado, com prémios apenas para conseguir links, truques nas votações, pelo que foi um sistema que desapareceu. No entanto continuam a aparecer algumas votações para destaques e ninguém rejeita uma promoção do site em destaques produzidos por publicações periódicas ou canais TV.
Numa iniciativa do blogue http://osblopes.blogspot.com foram estabelecidos os Prémios BL0PEs (um BLoPE é um BLOgue em Português ou Espanhol na área da Educação) para divulgar e incentivar a utilização da importante ferramenta que é um blogue na área da Educação.
As categorias são:
* Melhor Blogue feito por uma escola
* Melhor Blogue feito por um professor
* Postagem, recurso ou apresentação mais influente
* Melhor Blogue, serviço ou programa ao serviço da educação
* Melhor Blogue de Ciência/Cientista
* Melhor Blogue de uma biblioteca/bibliotecário
* Melhor Blogue de um museu/museólogo
* Melhor Blogue feito por uma criança
* Melhor Podcast
Na categoria Biblioteca/bibliotecário são poucos a concurso, certamente por falta de divulgação que existem muitos blogues interessantes (no meu caso só soube minutos antes de terminar as inscrições) mas podem consultar os diferentes blogues presentes a votação e fazer as vossas escolhas.
As votações podem ser feitas no blogue http://blopes2005.blogspot.com/ durante o mês de Fevereiro... e já agora votem no Bibliotequices ou no Bibliojornal !

[ Ler Mais ]

Norma NP-4438

Na segunda semana de Fevereiro o IANN/TT promoveu a apresentação da norma NP-4438 cujos objectivos são:
  • Gestão de documentos de arquivo em qualquer formato ou suporte
  • Definição de responsabilidades nas organizações
  • Gestão de documentos articuladas com normas de qualidade (NP ISO 9001)
  • Concepção e implementação de sistemas de arquivo
A norma é composta por dois documentos:
- NP 4438-1:2005
Informação e documentação Gestão de documentos de arquivo Parte 1: Princípios directores

A presente norma dá orientações relativas à gestão de documentos de arquivo nas
entidades produtoras, públicas ou privadas, para utilizadores internos ou
externos
- NP 4438-2:2005
Informação e documentação Gestão de documentos de arquivo Parte 2: Recomendações de aplicação

A presente Norma é um guia de implementação da norma NP 4438-1 para ser usado
por arquivistas ou qualquer outro responsável pela gestão de documentos de
arquivo nas organizações. Fornece uma metodologia que facilitará a implementação
da norma NP 4438-1 e dá uma visão geral dos processos e factores a considerar
nas organizações que pretendam aplicá-la.
Links:
- Slides de apresentação (PDF):
www.iantt.pt/downloads/Apresentacao_da_Norma_NP-4438.pdf
- A norma pode ser adquirida no Instituto Português da Qualidade por cerca de 76 Euros: http://loja.ipq.pt

[ Ler Mais ]

Projecto vercial

O Projecto Vercial apresenta uma selecção de literatura portuguesa para aquisição em Cd. O projecto já por aqui anda há algum tempo e possui um novo endereço: http://alfarrabio.di.uminho.pt/vercial .
O objectivo do projecto é «divulgar o maior número possível de autores de língua portuguesa, desde a Idade Média até à actualidade»
Como limitações deste projecto está o facto de os documentos disponíveis em CD-Rom utilizarem o formato PDF (até sem bookmarks de estrutura) o que para um e-book não será o melhor que se possa arranjar. Para uma distribuição comercial o melhor mesmo seria o
Microsoft Reader ou o Mobipocket embora eu até prefira os e-books em texto não formatado (txt) para poder utilizar o meu favorito Y-book da Spacejock... mas pronto, são manias!)

Mas chega de reclamar... (pobre é assim mesmo!): num mundo onde há tão pouca literatura digital em português, a Vercial faz o seu contributo modesto com 4 obras gratuitas como e-book:
  • Francisco de Sá de Miranda: Os Estrangeiros
  • Raul Brandão: Os Pobres
  • José Leon Machado: A Margem
  • José Leon Machado: A Bruxa e o Caldeirão

Ver em: http://alfarrabio.di.uminho.pt/vercial/ebooks.htm

[ Ler Mais ]

Leis online

A lei é a lei e o seu desconhecimento não isenta do cumprimento. Sendo um bem comum, ordenador e regulamentador da vida em sociedade, é fundamental o seu conhecimento. E se a sua interpretação ou compreensão levanta cada vez mais dificuldades ao cidadão comum, o acesso a este tipo de informação é uma exigência mínima de uma sociedade.
Sabendo que as bibliotecas (municipais e algumas escolares) são repositório deste tipo de informação, não é menos certo que tal é apenas uma realidade... depois de os cadernos do DR serem encadernados. Nas escolas o processo ainda é pior, passando algum tempo entre as mãos dos órgãos administrativos /gestão, pelo que a informação raramente chega a quem de direito na altura certa.
A solução? Melhorar o funcionamento da instituição ou optar pela via mais "fácil": ir à internet!
O Diário da República foi um dos primeiros recursos on-line colocados ao serviço do cidadão português na tentativa de facilitar o seu relacionamento com as entidades oficiais e que constitui naturalmente um inegável contributo para a formação da cidadania. O site www.dre.pt/ permite o acesso ao diário da república em formato PDF (infelizmente não permite a cópia do texto). Com zonas de acesso reservado por pagamento, disponibiliza algumas secções (especialmente as datas mais recentes) e os sumários de forma gratuita.
Para aceder on-line aos diários da república utilize o site www.dre.pt , consulte o sumário e/ou pesquise por número indicando o tipo de legislação, tal como no exemplo:

Se for da 2ª série utilize essa indicação tal como no exemplo:

Já agora as legislações indicadas nos exemplos são dos finais de 2005 e referem-se a normas de arquivos escolares (a primeira) e certificação de software de gestão escolar (a segunda). Sobre a primeira colocarei outro artigo pois é um documento a ler com atenção.

O serviço é bom, simples de utilizar, mas não fica isento de reparos: estruturais e tecnológicos.

  • Os documentos PDF não permitem a selecção e cópia de texto. Direitos de copyright aqui? Certamente a decisão de colocar esta limitação não trouxe nenhuma vantagem ao mundo.
  • O acesso à documentação não pode ser limitada a 45 dias nem coisa que o valha. O acesso às leis é um recurso e uma preservação da memória. Há coisas que são serviço do estado. Sai caro? Há muita coisa na assembleia que sai caro e não é por isso que deixa de existir.
  • a legislação produzida por um país constitui um património de todos os cidadãos desse país e que de forma alguma deveriam ser impedidos de aceder a essa legislação de forma gratuita e ilimitada

Claro que podem existir serviços extra, que recorram à selecção e tratamento de informação e que sejam passíveis de contrapartidas financeiras. Mas só os serviços associados poderão ser alvo de pagamentos.

Meio a propósito recordo-me de um livro que cataloguei em tempos, uma Constituição da República Portuguesa com um prefácio de uma página de um dos deputados que fez parte da comissão de revisão constitucional e que ... uma editora decidiu vender. Sinceramente lembro-me de ter ficado a olhar para o livro e a esperar, com traços de ingenuidade, que o deputado tenha oferecido as receitas a uma instituição de caridade. Que direito existe em tirar proveito da constituição portuguesa... sem efectuar uma única alteração ao texto oficial? Mas isto é das tais coisas que "não importa nada"!

A lei é de todos. Algum advogado que pense o mesmo?

[ Ler Mais ]

Paginas a&b

Petição on-line à assinatura da revista Páginas a&b
O blog “ A-informação ” está a levar a cabo uma petição on-line à assinatura da revista Páginas a&b, que está, presentemente, com sérias dificuldades financeiras que põem em risco a sua continuidade.
A revista "Páginas a&b" é o único periódico independente, da área da Ciência da Informação, que se publica em Portugal, razão por que achamos que não deve morrer. A revista publica-se há oito anos, ininterruptamente, porque tem podido contar com o apoio financeiro do Instituto do Livro e das Bibliotecas, com a receita das assinaturas e, por vezes, com a de alguma publicidade. Os conteúdos, de qualidade não despicienda, não têm faltado e esse facto tem animado a Direcção do Gabinete de Estudos a&b e a Direcção das "Páginas" a continuar. Mas, se os leitores não se converterem em assinantes, de forma a garantir uma base financeira mínima que dê estabilidade à revista, não é possível fazer milagres. Actualmente, a revista "Páginas a&b" tem menos de uma centena de assinantes, no entanto, para garantir alguma segurança do ponto de vista financeiro, necessita de ter o dobro.
AJUDE A MANTER AS PÁGINAS A&B.
Para além de leitor, TORNE-SE ASSINANTE.
Aceda à petição em:
http://paginas-aeb.pt.vu/

[ Ler Mais ]