CDU online pela Priberam

Vai-se levantando a o véu sobre a disponibilização da tabela CDU versão portuguesa on-line. Depois de ventilada a hipótese, desde Dezembro creio, e de ter sido anunciada a divulgação para as X Jornadas Porbase, fica-se agora a saber quem o vai fazer: a Priberam.
A
Priberam estabeleceu um protocolo de colaboração com a Biblioteca Nacional (BN), na sequência da participação no projecto europeu M-CAST, um sistema de agregação de conteúdos multilingue baseado no motor de pesquisa TRUST que visa a aplicação de tecnologias de pesquisa avançada às bibliotecas digitais.
O
projecto M-CAST tem por objectivo desenvolver uma infra-estrutura que permita aos criadores de conteúdos integrar, pesquisar e aceder a recursos de grandes colecções multilingues de texto (e multimédia), como sejam as das bibliotecas digitais, editoras, agências de informação e bases de dados científicas.
Esta é uma notícia importante para a área de classificação e para o trabalho nas bibliotecas pois permitirá a existência de actualizações e facilidade na construção de notações, especialmente se ficar disponível a versão integral da tabela. Mas para isto tudo a implementação terá de ser tão boa quanto a da versão inglesa da tabela
efectuada pela BSI... ou melhor!

[ Ler Mais ]

Estatisticas do livro

A ministra da Cultura afirmou, na inauguração da Biblioteca Municipal da Golegã e como comemoração do dia do Livro, ser a "Rede de Leitura Pública um projecto de importância maior ao nível das políticas culturais" sendo que em 2005 foram inauguradas 14 bibliotecas Municipais e estão para inaugurar até ao final do ano mais 12. Na defesa do sector editorial fez ainda referência à instituição de um prémio de Edição. Mas mais importante do discurso, foi a afirmação de que o ministério vai "apostar numa estratégia de fomento da edição para deficientes". A ver vamos, já dizia o... !
Como anúncio deixou a indicação de que:

(...) a partir de Julho deste ano, o Ministério da Cultura, através do IPLB, em articulação com o Instituto Nacional de Estatística e com as associações representativas do meio, APEL e UEP, irá iniciar um estudo destinado à definição de modelos de levantamento da informação estatística relativa ao Livro, tanto ao nível da oferta editorial como das aquisições.

Será que vai ser o fim dos tops de vendas de cada livraria, supermercado e afins? Então e depois como se vendem os livrinhos se só existir um top único e fiável?! Parece-me bom demais mas o mercado musical já há muito resolveu essa situação. A única coisa que me deixa preocupado... é serem muitas entidades a gerirem esses dados que certamente darão origem a um top de vendas!

Ler discurso completo

[ Ler Mais ]

O poder corrompe

Para o 25 de Abril 1974

[ Ler Mais ]

Biblioteca do Congresso EUA

O dia 24 de Abril de 1800 é o dia da criação da Biblioteca do Congresso dos EUA, por decreto do presidente John Adams. Só em 1801 chegariam os primeiros 740 livros e 3 mapas com que se iniciou aquela que é umas das mais importantes bibliotecas do mundo em recursos, documentos e em importância na área da biblioteconomia.
Iniciada como uma biblioteca para utilização pelo Congresso dos EUA cedo se transformou num centro de protecção e conservação da cultura americana e mundial.
Actualmente conta com três edifícios, o edifício Jefferson (1987), o edifício Adams (1939) e o Madison (1980), que são local de visita de 2 milhões de pessoas por ano e alojam os cerca de 110 milhões de itens das várias colecções.

[ Ler Mais ]

O livro de dentro para fora

É o título de uma exposição de fotografia patente na BN para comemorar o dia mundial do Livro.

Onde estão os livros, como é que eles se arrumam e se encontram, porque estão numa determinada estante, que elementos entram na sua construção. Sendo iguais tão diferentes, a exigir cuidados semelhantes mas técnicas e materiais diversos.
Uma panóplia de matérias primas, de ferramentas, processos tradicionais ou soluções mais adaptadas aos múltiplos pedidos de leitura, ao manuseio intensivo.
Um trabalho que cresce do mais recôndito da Biblioteca Nacional até às mesas da leitura; uma tarefa sem fim, construída de dentro para fora, invisível e silenciosa, quotidiana e pertinaz, a pedir o reconhecimento quando se celebra o livro. O conteúdo e o suporte. A biblioteca, um lugar de encontro entre os que exploram no livro a informação e o conhecimento e os que detêm a responsabilidade pela disponibilização física do livro. Todos os dias de cada ano.

Vale a pena efectuar uma visita virtual pois o site está muito bem conseguido (embora ver fotos em janelas separadas seja sempre aborrecido!)

[ Ler Mais ]

Fortaleza digital em Unimarc

E depois de um dia "Dan Brown" com uma obra publicada originalmente em 1998, aqui fica a prometida ficha de catalogação:

821.111(73) BROW
Brown, Dan, 1964-

Fortaleza digital / Dan Brown ; trad. Mário Dias Correia. - [1ª ed.]. - Lisboa : Bertrand, 2006. - 441, [5] p. ; 24 cm. - Tít. orig.: Digital fortress
ISBN 972-25-1469-5
CDU 821.111(73)BROW7FOR

821.111(73)"19"
82-312.4

--------------------------------------------

Estado: n Tipo:a Nível bibl.: m
Nível hierárquico: 0 Nível de cod.: Forma de desc.:

001:0000005
005:20060420011521.0
010: ^a972-25-1469-5
021: ^aPT^b239322/06
100: ^a20060419d2006 m y0pory0103 ba
101:1 ^apor^ceng
102: ^aPT
105: ^ay z 001yy
106: ^ar
200:1 ^aFortaleza digital^fDan Brown^gtrad. Mário Dias Correia
205: ^a[1ª ed.]
210: ^aLisboa^cBertrand^d2006
215: ^a441, [5] p.^d24 cm
304: ^aTít. orig.: Digital fortress
675: ^a821.111(73)BROW7FOR^vBN^zpor
675: ^a821.111(73)"19"^vBN^zpor
675: ^a82-312.4^vBN^zpor
700: 1^aBrown^bDan^f1964-
702: 1^aCorreia^bMário Dias^4730
801: 0^aPT^bPT-ALES^gRPC
966: ^lPT-ALES^s821.111(73) BROW

---------------

E não digam que sou conservador com as notações CDU !

Quem quiser importar o ficheiro em ISO2709 pode utilizar este link: http://rapidshare.de/files/18452251/dan_brown_fortaleza_digital.zip.html
Como é um endereço de partilha gratuito pode ficar congestionado rapidamente .. é tentar de novo!

[ Ler Mais ]

Talho Cultural

Apesar de não ser uma novidade é uma curiosidade adequada ao final da quarentena pascal.

Café e livros dá origem a um café literário e toda a gente acha altamente intelectual. Mas... carne e livros dá origem a um Talho Cultural e causa estranheza! É verdade... o T-Bone Açouge cultural em Brasília (Brasil) apresenta uma inusitada combinação... vende carne e serve livros... e tudo de forma legal!
Se no início era apenas um talho, os livros foram aparecendo nas montras e as doações cresceram. Hoje tem até a sua actividade legalizada. A carne continua a ser vendida, existindo até um serviço de churrasco ao domicílio, mas ao lado estão mais de 4000 livros, com espaço para leitura e empréstimo de livros. Ao mesmo tempo passou a promover acontecimentos culturais, lançamentos de livros e concertos. O sucesso foi tal que no final de 2003 acabou por ser criado um novo espaço, a Casa de Cultura T-Bone que através de doações conta já com 8000 títulos.
“A carne é um alimento para o físico. Os livros, para o espírito” diz o dono e talhante Luiz Amorim, analfabeto até os 16 anos.
www.t-bone.com.br

[ Ler Mais ]

Fortaleza digital

Dia 18 de Abril é a data de lançamento do livro Fortaleza digital de DanBrown numa edição da Bertrand Editora com tradução de Mário Dias Correia. Desde já o destaque para os números da 1ª edição: 100 000 exemplares... sim, nada de tiragens de 1500 exemplares para atingir um grande número de edições!
Esta é a primeira obra de Dan Brown, escrita em 1998, um techno-thriller cuja temática aborda o universo dos serviços de informação. A história decorre nos corredores de Washington, ruas de Sevilha e arranha céus de Tóquio, com um argumento em que se exploram os limites entre a liberdade individual e a segurança nacional, tudo à volta da ultra-secreta e multimilionária NSA, a Agência de Segurança Nacional Norte-americana.
Fortaleza Digital é o nome de um novo código que resiste ao supercomputador da NSA, o TRANSLTR, até então considerado uma arma invencível para decodificar mensagens terroristas transmitidas pela Internet e criado por Ensei Tankado. A estrela do livro é a brilhante criptógrafa Susan Fletcher e o seu noivo David Becker um professor de Literatura que vão tentar desvendar o mistério.
Prepare o seu bloco de notas e um lápis... pois vai ter direito a umas cifras ao longo das 448 páginas e 128 capítulos, cujo número não é irrelevante para concluir a leitura do livro com sucesso!

Dizem que, quando chega a hora da morte, tudo se torna claro. Ensei Tankado sabia agora que isso era verdade. [início do prólogo, Fortaleza Digital, Dan Brown]

Pode ler mais uns parágrafos em versão brasileira enquanto faz a sua reserva de aquisição. Para preparar o lançamento da obra na sua biblioteca ficam aqui alguns sites:

E agora como bónus para catalogadores... no dia 18 passe por aqui [ http://bibliotequices.blogspot.com ] e terá, logo que a obra esteja disponível ao público (que isto agora está na moda é esconder as obras antes do lançamento), a ficha de catalogação em formato ISO!

[ Ler Mais ]

Bibliotecas digitais comerciais

Jean-Nöel Jeanneney, director da Biblioteca Nacional da França, esteve no Colóquio de Bibliotecas Digitais realizado no Rio de Janeiro e mostrou-se preocupado com a influência de empresas como o Google na determinação do futuro das bibliotecas digitais em vez da valorização do papel dos estados.
"É claro que é bom ter acesso à informação, mas é preciso que seu controle não fique só com uma empresa, que seu financiamento não se dê só pela publicidade e que essa grande quantidade de informação seja ordenada. O Estado sempre interveio nos meios de comunicação, criando barreiras aos produtos estrangeiros ou cotas. Na internet é impossível intervir dessa forma, mas pode-se agir afirmativamente, criando ou estimulando a criação de bibliotecas virtuais e a publicação de mais e mais títulos nessa nova mídia."
Refreando o entusiasmo do autor (que ao mesmo tempo apresentou o seu novo livro intitulado "Quando Google desafia a Europa") penso que será de analisar melhor o papel dos estados no controlo da informação pois não se têm limitado à sua preservação. Os estados, ao longo dos tempos, têm procurado controlar o acesso a esta informação, e se agora reagem fazem-no obrigados pelos acontecimentos que rodeiam as autoestradas da informação.
Se foi a invenção da imprensa que trouxe o saber para fora dos Mosteiros, é a Internet que pode trazer o saber para casa das pessoas. Os estados estão a reagir... menos na formação de utilizadores da internet, nas suas literacias e capacidades de escolha, mas mais no apoio aos interesses de grupos de influência ligados aos direitos de autor.
A intervenção dos estados tem de se orientar para a correcção de distorções criadas pelos interesses dos serviços privados na digitalização de bibliotecas, e aí sim, a iniciativa da Alemanha e França na construção de uma biblioteca digital Europeia é de aplaudir. Não por quererem competir com o Google, mas sim porque o Google não se interessou pelo património Francês e Alemão, valorizando o Inglês que é mais rentável.
Falta saber quando é que o estado português (e CPLP por arrasto) perceberá que é preciso valorizar a cultura portuguesa e se saberá manter afastado dos interesses Franco-germânicos... por enquanto escondidos cobre a capa da cultura europeia!

[ Ler Mais ]

Turim 2006

Torino Capitale Mondiale del Libro con RomaTurim é a Capital Mundial do Livro 2006, um acontecimento que decorre entre Abril 2006 e Abril 2007 numa cidade onde viveram grandes autores da literatura italiana e mundial como Primo Levi, Italo Calvino, Cesare Pavese, Emilio Salgari e Edmondo De Amicis, o local onde Nietzsche escreveu Ecce Homo, ou onde os editores Utet, Einaudi e Bollati Boringhieri marcaram a cultura europeia.

O título atribuído pela Unesco é partilhado com Roma numa "Torino Capitale Mondiale del Libro con Roma" estando prevista a realização de eventos, espectáculos e iniciativas que assinalem o amor pelo livro e difusão da leitura.
A inauguração está marcada para 23 de Abril, o dia Mundial do Livro. O tema deste ano é a "Linguagem dos sinais", ou melhor dos , . ; ! : ? " ( ) ... e @ os sinais que separam as palavras mas unem as ideias. São dez signos que servirão de temas para as iniciativas, tendo até sido adoptados pelos dez bairros (Circoscrizioni) da cidade de Turim como emblemas e temas de actividades locais.
E tudo isto numa perspectiva turística nacional: o regresso da Itália ao circuito de viagens educativas para intelectuais europeus.
Ou como a cultura pode ser um bom investimento. : ( ! ? @ , " ... ; )

[ Ler Mais ]

X Jornadas PORBASE


Nos próximos dias 18 e 19 de Maio, realizam-se na Biblioteca Nacional as 10as Jornadas PORBASE dedicadas ao tema Normalização Bibliográfica.
Destaco no programa, e para além do natural ponto de situção da Cooperação PORBASE, a apresentação de ferramentas para o controlo de qualidade da informação bibliográfica como o "UNIMARC registry" e a comunicação "CDU: a nova tabela de autoridade, a CDU, MRF e a CDU em linha".
No final surgirá ainda um Workshop sobre Empréstimo Interbibliotecas em simultâneo com o Fórum tecnológico Porbase. Marque na agenda!

[ Ler Mais ]

Equipas BeCre

A 6 de Abril ficou concluída a fase de candidatura de docentes para o próximo ano lectivo. Concorreram 122.644 professores, mais 1.019 do que no ano passado, para apenas 8.500 vagas disponíveis a concurso, sendo que 33% dos candidatos são pessoas que não estão a dar aulas este ano. Se a notícia parece ser do âmbito da educação em geral, considero que é uma notícia muito importante para as bibliotecas escolares pois no fim de um ano que foi um caos na gestão das equipas das bibliotecas escolatres/Centros de recursos educativos (BECRE).
No reino das BeCre está tudo ansioso pelos concursos para o ano escolar de 2006-07. É que vamos ter professores colocados por 3 anos nas escolas e que podem ajudar a dar estabilidade a projectos escolares e claro que espero que muitos queiram trabalhar nas BeCre trazendo-lhe mais qualidade. Agora só falta que sejam bem aproveitados pois os alunos precisam. Ainda falta sair uma determinada notícia sobre bibliotecas escolares para que elas venham a funcionar melhor... mas que por agora não revelo para não "dar azar".

[ Ler Mais ]

BLX - Direito de Autor

Seminário Direito de Autor, por ocasião das Comemorações do Dia Mundial do Livro e do direito de autor, tem lugar no próximo dia 20 de Abril, pelas 9h30m, no Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro (Lisboa)

A missão e os objectivos das Bibliotecas encontram-se, historicamente, em situação de “fronteira” com os direitos e interesses juridicamente protegidos pelo Direito de Autor e Direitos conexos. Assim, enquanto as primeiras procuram oferecer o acesso livre e universal à cultura, à ciência e à informação, o Direito de Autor e Direitos conexos procuram salvaguardar e satisfazer a remuneração dos autores, artistas e editores, pelas diversas utilizações da obra protegida.
Os valores e interesses que se “confrontam” são, assim, o livre acesso à informação e a restrição do acesso, em função dos direitos e interesses juridicamente protegidos dos autores, artistas e editores.

Inscrição até 18 Abril: luisa.pires@cm-lisboa.pt

[ Ler Mais ]

Perfis professorais

Numa notícia do correio do minho fala-se sobre a colocação de professores em museus ao abrigo de um protocolo entre os Ministérios da Educação e da Cultura para docentes com horários zero.
Numa altura em que se fala muito de mobilidades é de realçar que existiram muitos candidatos aos diferentes lugares mas que só uma professora foi aceite pois os outros não tinham o perfil pretendido. E note-se que a docente aceite não tinha o perfil considerado prioritário (ciências da natureza, história, história da arte) mas que acabou por ser seleccionada pois tinha experiência de animação de jovens por ter participado na animação de bibliotecas escolares ao nível da "hora do conto".
Passando por cima, com natural simpatia, por ver o trabalho nas bibliotecas escolares a ser considerado no mundo real, realçava a nota negativa para os professores pela falta de perfil no concurso. É que os docentes que se limitam a dar as suas aulas têm esquecido que passar 35 anos a repetir a mesma função, a evitar entrar em projectos, ou de se envolverem em actividades, estão a trabalhar na direcção errada. Um profissional do ensino deve evoluir em diversas áreas, enriquecendo o seu perfil. Até porque o futuro implicará mais mobilidade!

[ Ler Mais ]