1 ponto por ano

Este ano de 2007 marca os 10 anos do projecto Rede de Bibliotecas Escolares, actualmente responsável pela transformação de espaços e práticas em bibliotecas escolares de 1756 escolas.
O ano de 2007 foi igualmente dedicado à formação de docentes em biblioteconomia e em TIC, consideradas as áreas prioritárias para este ano civil.
Neste ano lectivo foi ainda implementado o Plano Nacional de Leitura com um investimento considerável em obras para leitura nas escolas em que a biblioteca desempenha um pape fundamental na utilização desses recursos e na criação de actividades de promoção de leitura.

As biblioteca são consideradas um elemento fundamental para o sucesso escolar. As bibliotecas escolares são coordenadas por um docente a tempo parcial (8 a 11 horas por semana) que se rodeia de uma equipa de trabalho, constituída normalmente por dois ou três docentes e um funcionário.
Nestes últimos anos essa equipa tem vindo a diminuir em quantidade e em número de horas (actualmente esses docentes apenas podem aplicar na biblioteca horas de trabalho em estabelecimento o que em muitos casos é uma ou duas horas semanais por docente), acabando ainda por ser retirado o funcionário de biblioteca que em muito0s casos já tinha alguma formação.
E o que se pede a esse coordenador? (Despacho n.o 13 599/2006)
  • Promover a integração da biblioteca na escola (projecto educativo, projecto curricular, regulamento interno);
  • Assegurar a gestão da biblioteca e dos recursos humanos e materiais a ela afectos;
  • Definir e operacionalizar, em articulação com a direcção executiva, as estratégias e actividades de política documental da escola;
  • Coordenar uma equipa, previamente definida com o conselho executivo;
  • Favorecer o desenvolvimento das literacias, designadamente da leitura e da informação, e apoiar o desenvolvimento curricular;
  • Promover o uso da biblioteca e dos seus recursos dentro e fora da escola;
  • Representar a BE no conselho pedagógico, sempre que o regulamento interno o preveja.
Ou seja, gerir uma biblioteca, desde o tratamento documental (registo, catalogação e classificação - hoje em dia é tudo feito em computadores), a gestão das aquisições, coordenação de projectos, organização de actividades e desenvolvimento de estratégias para promoção da leitura e da literacia até ao apoio a actividades curriculares.
E em quanto é que este trabalho é valorizado pelo Ministério da Educação para efeitos de acesso à categoria de professor titular? Um mísero ponto, 1 ponto por ano. O menos pontuado de todos os cargos na escola (retirando os que foram ignorados). Veja aqui o enquadramento da questão.

Recordemos a tabela em discussão:
(
Decreto Lei _1º concurso de acesso a professor titular.pdf)
Pres. Cons. Exec. = 9 pontos
Pres. Ass. Escola. = 7 pontos
Pres. Cons. Ped. = 7 pontos
Assessor C. E. = 3 pontos
Coordenador de D.T. = 4 pontos
Coordenador de Departamento = 6 pontos
Coordenador de BE/CRE = 1 ponto

Bravo! Para um trabalho que exige gosto, um trabalho de todos os dias, que nunca termina, que implica muitas horas na escola e em casa a preparar actividades, que implica uma formação técnica adicional (já que sendo uma função técnica os docentes possuem formação inicial nessa área), formação em acções de formação para docentes e ainda muitas conferências e congressos onde se podem contactar com as novidades técnicas de biblioteconomia.
Um ponto por ano!

Um trabalho que nunca termina lava ainda os coordenadores a outras responsabilidades como a representação da biblioteca no Conselho Pedagógico, reuniões com os outros coordenadores do mesmo Concelho, e trabalho com docentes da escola.
Não esquecer que isto tudo corresponde, no máximo a metade do seu horário, pois na outra metade do horário ainda dão aulas a 3 ou 4 turmas de alunos, são directores de turma, correctores de exames nacionais ou outras funções normais em professores.
Um ponto por ano!

Caricato? Ridículo. Como a vida é feita de grandes ideias mas também de coisas concretas, vejam esta situação: quem foi coordenador BE em 2005/2006 foi pontuado com 1 ponto.
Contudo, como pretendeu ser um melhor coordenador, foi a algumas formações, especialmente ao Congresso Internacional de Bibliotecas Escolares da IASL, patrocinado pelo Ministério da Educação e RBE que até apoiou financeiramente a inscrição de 100 coordenadores de BE.
Alguns coordenadores e membros de equipas BE até foram apresentar trabalhos, conferências ou os outros conferencistas internacionais, mostrando o melhor que o nosso país realiza na área das bibliotecas escolares.
O evento realizou-se de 3 a 7 de Julho de 2006 (5 dias úteis) com as faltas a actividades escolares... naturalmente justificadas como formação profissional ao abrigo de uma lei (ECD) e previamente autorizadas (1 mês) pela direcção da escola.
Mas faltas são faltas e as faltas dadas ao serviço por causa desse evento são avaliadas no ponto 3.32 da tabela de acesso a professor titular com 5 pontos num total de 9.
Desta forma, um, coordenador perdeu logo 4 pontos, o equivalente a 4 anos de trabalho nas bibliotecas.

Outro exemplo: desde 1999-00 até 2004-05 competia à biblioteca e seu coordenador coordenar projectos nas escolas pelo que muitos coordenadores BE entraram em projectos Europeus como os Comenius (entre escolas europeias), ou ENIS (escolas inovadoras) que implicaram visitas aos países do projecto.
Um ponto por ano!

No âmbito destes projectos tiveram de ir dois ou três dias ao estrangeiro, para o qual tiveram aprovação da Comunidade Europeia e uma autorização especial dos respectivos Directores Regionais. Para o seu Director Regional foi ainda obrigatório a apresentação de um plano de ocupação dos alunos e actividades a realizar na sua ausência.
Felizmente permitiram o surgimento de boas práticas, e até exibir o Ministério da Educação em mil e um projectos, como este:
www.dgidc.min-edu.pt/inovbasic/proj/boa-esperanca/intern-praticas.htm
Um ponto por ano!

Claro que se tivessem ido às aulas marcar o ponto teriam tido 9 pontos pela assiduidade sem mácula... assim para ganharem um ponto perderam 7 ou 8!
Para saberem a quantos pontos ficaram dos 120 utilizem esta tabela em folha de cálculo.
Já estão a ver quem é que só chegou aos 80 pontos, tendo sido gozado por muitos colegas por passar tanto tempo a trabalhar na escola!!

Quem oferece uma "calculadora de carreira" aos coordenadores BE?!