500 anos de ciência conquistam mundo virtual

«A Universidade do Porto disponibilizou, ontem, em suporte digital, aquele que
será o maior acervo científico português online. No sítio http//www.fc.up.pt/fa
encontram-se digitalizadas cerca de 70 mil páginas de 143 monografias e 150
publicações periódicas científicas relativas ao período compreendido entre 1500
e 1945.»

« As maiores dificuldades surgiram, no entanto, na fase
inicial. "Parecia quase impossível no início. Encontrar o fio à meada foi, sem
dúvida, o maior obstáculo", revelou ao JPN Teresa Andresen, que fez questão de
sublinhar o empenho dos assessores e dos bibliotecários sem os quais "o projecto
não existiria".
Henrique Leitão, professor do Centro de História das
Ciências da Universidade de Lisboa que colaborou no projecto, afirmou que a
criação do portal vem provar, por um lado, que "não há falta de obras de ciência
em Portugal" e, por outro, que "a digitalização do património é uma
inevitabilidade" face à modernização da sociedade. »


Bom projecto, boa iniciativa e que certamente irá fazer escola no meio académico português. Será este o momento de viragem na atitude das universidades e académicos portugueses em relação à publicação online?
Em termos técnicos, e mesmo parecendo injusto apontar defeitos a este projecto, existe uma falha grande no projecto: a tecnologia escolhida para disponibilizar as imagens digitalizadas dos documentos.
Para este tipo de trabalho é necessário uma qualidade de digitalização acima da média pois são documentos que ficam para a história num novo formato. Ora acontece que as imagens estão num simples JPG e com baixa resolução. Se o JPG só deve ser utilizado para utilização web e não para arquivo, a utilização para livros antigos ainda aumenta o problema.
Em documentos antigos o papel é amarelado, o que impede um bom desempenho do JPG (disfarça quando o fundo é branco e limpo), resultando em ficheiros maiores em tamanho e de pior qualidade.
Por outro lado, algo muito incómodo para quem lê, é não poder fazer um zoom às imagens logo no browser (isto sem nenhum extra de lupa para o browser).
Deviam ter utilizado uma tecnologia que permitisse o zoom e o "pan" logo nas páginas web: já não digo o Flash Paper pois é comercial, mas o DJVu seria o ideal já que existe em versão gratuita. Talvez ainda seja possível passar os ficheiros originais (a não ser que tenham digitalizado logo em JPG compactado)?

    Mas agora o que importa é fazer uma visita ao site de Fundo Antigo da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) em www.fc.up.pt/fa

    Informação adicional para interessados em digitalização:

    Referências da notícia: