Leitores portugueses

Segundo artigo do Jornal Sol sobre os estudos de leitura apresentados na conferência do PNL , Maria de Lurdes Santos, responsável do Observatório das actividades culturais realçou a diminuição do número de não-leitores dos últimos 10 anos, que desceu de 12 para 5 por cento.

«Estes não-leitores- esclareceu - são hoje, sobretudo, pequenos leitores, que lêem entre um e cinco livros por ano».
Não leitores? Como é possível pensar que este termo seria adequado à própria promoção da leitura? Não se podia ter arranjado outro nome mais técnico? Sei lá... ordenar por níveis!

Já noutro artigo, segundo o mesmo jornal, revelam-se dados mais interessantes sobre estes não-leitores:
O estudo revela que 57 por cento dos portugueses (cerca de 4,2 milhões de habitantes) lê livros, mas a média é de duas a cinco obras literárias por ano. Apenas sete por cento lê anualmente entre 11 e 20 livros, excluindo livros escolares.
Um país de poetas, marinheiros desempregados e não-leitores.
Nota: como o número de não leitores não bate certo nos dois artigos, vou esperar para ler os textos originais (se os encontrarem avisem!)