Coração de Leitor

Inkheart (Coração de Tinta) é um livro de Cornelia Funke, uma escritora de sucesso que deu à luz mais um best-seller. Uma obra que revisita outras obras e é um desafio para o leitor. Ao mesmo tempo constitui material ideal para promoção de literatura juvenil já que é um livro que fala de livros e cuja trama se desenrola à volta desses mesmos livros.
A trama é simples mas interessante (faz-me lembrar Jumanji!): é a vida de Meggie e o seu pai Mo que é capaz de trazer os personagens dos livros à vida real quando lê esses livros em voz alta. O problema está na compensação pela via inversa que levou a mãe de Meggie para um mundo especial.
O livro é o primeiro de uma triologia (com Inkspell e Inkdeath) e mais um sucesso da Scholastic: www.scholastic.com/corneliafunke/ink_trilogy.htm

E porquê este destaque agora? Porque é dia de estreias de cinema e a obra foi adaptada ao grande ecrã por Iain Softley ... sendo assim mais uma para a sua lista de "livros que passaram a filmes e vou aproveitar para promover a leitura". Os contadores de histórias que se acautelem!

Arrumação da literatura numa biblioteca
Aproveitando o tema fica aqui um desafio para "arrumadores de prateleiras" visitarem a sua biblioteca no papel de leitor e perguntarem-se: será que temos este livro e outros semelhantes?
Teve de ir para o computador para conseguir responder? Tem sinalética que o permita localizar?
Espero que não tenha tido necessidade de perguntar a nacionalidade do autor (ou o século) pois se foi o caso a sua biblioteca está organizada como um arquivo e não como uma biblioteca para uso do público.
Agora experimente fazer a mesma pergunta numa livraria...! Notou a diferença? Certamente que os seus leitores notam!
Não culpe a classificação CDU
A culpa é da classificação CDU? Claro que não! Basta ter uma secção para 82-312.9 - Fantasia e Fantástico e esquecer as nacionalidades! Naturalmente isso implicaria arrumar as obras literárias... por género literário.
Radical?! Afinal se não arrumamos os livros de biologia por séculos ou nacionalidades dos autores... porque complicamos a vida aos leitores de literatura?
Um miúdo de 12 ou 13 anos não quer saber a nacionalidade da Cornelia Funke ou em que ano nasceu: apenas quer livros do mesmo género, e se não existir nenhum desta autora pode ser que se encante por outro parecido de um escritor indiano ou português. Ou que, no inverso, a descubra, quando estiver a navegar pelas estantes, junto a ilustres autores como J. R. R. Tolkien (Senhor dos Anéis), C. S. Lewis (Crónicas de Nárnia), J. M. Barrie (Peter Pan), todos eles influências da autora... mas de outras nacionalidades!
Nota: para quem estiver curioso a autora é alemã... o que daria uma notação para o livro iniciada em 821.112.2 ... ou será que por se ter mudado para Los Angeles em 2005 um dia isso lhe vai valer uma notação em 821.111(73) não evitando, mesmo assim, o afastamento dos parentes ingleses?

É certo que numa biblioteca especializada, como a de um curso de literatura de uma Faculdade de Letras, a organização por literatura (país/séculos) terá sentido. Fora desse ambiente do tipo "arquivo para técnicos" só uma apresentação por géneros literários fará sentido aos utilizadores.


Notações a evitar
Ao classificar literatura numa biblioteca escolar (ou de leitura pública) evite duas notações:

  • 087.5 ... que devia ser banida, ponto final!
  • 82-93 ... ou gosta de ter tudo no mesmo saco?
Já quanto ao 82-31 que é porto seguro para muitas indecisões... não seja simplista e olhe para dentro do 31!

A informatização não faz milagres!
É certo o computador permite muita coisa e a informatização dos registos é importante. Mas antes de o fazer... pense no que quer obter no final.
Por exemplo, vá a uma biblioteca informatizada e tente fazer uma listagem de literatura de fantasia independentemente do país de nacionalidade dos autores? Não conseguiu?! Acredite que os classificadores até a podem ter identificado e colocado nas notações... mas daí não vai a lado nenhum!
Porquê? Porque ainda se pensa em termos de catalogação em papel (aquela linha no final da ficha de papel!) e se constroem notações CDU "tipo comboio", concatenando elementos e agregando notações. E tanto se faz que se esquece o objectivo. Por exemplo este livro teria uma notação simpática: 821.112.2-312.9"19/20"



A solução?
Trabalhe com várias notações CDU para a mesma obra (a primeira é a mais importante), no caso usaria duas
  • 82-312.9
  • 821.112.2"19/20"
O seu computador "sentirá" a diferença pois isso vai permitir-lhe pesquisas boleanas em notações CDU! Já quanto à cota de arrumação seria, naturalmente, pelo género!

E pronto, para descontrair fica aqui o vídeo promocional do filme... e pense nestas questões enquanto estiver no cinema com o seu coração "cheio de tinta".
Já agora a notação CDU para este filme é... 791.221.8 (a notação para filmes de Fantasia), isto de um filme que é da Alemanha, Reino Unido e EUA!
E agora sim... let's look at the trailer:


E não deixe de visitar: