Avançar para o conteúdo principal

Michelangelo: edição de luxo

Se os livros podem ser digitais porque não em mármore (e branco de Carrara)? 100 mil euros e 28 quilos parecem não ser problema.
Estamos a falar do livro "Michelangelo". Uma capa em mármore com uma reprodução do baixo relevo "La Dotta Mano" em mármore de Carrara. O livro contém fotografias de esculturas de Miguel Ângelo e fólios com desenhos para além de fotografias dos seus trabalhos na Capela Sistina. O texto (escrito com processos tradicionais) é do biógrafo Giorgio Vasari e vai estar em exposição na Biblioteca Nacional de Portugal. Inclui móvel e garantia para 500 anos!
 Na segunda-feira estará exposto no hall da Biblioteca Nacional «o livro mais caro jamais feito»: «Chama-se 'Miguel Ângelo', incorpora uma capa feita em mármore, que pesa mais de 20 quilos, e é uma reprodução exacta de um baixo-relevo do Miguel Ângelo feita com pedra da mesma pedreira», disse Teixeira Pinto na Biblioteca Nacional, no final da apresentação do seu grupo editorial.
Artigo do Jornal Sol: Biblioteca Nacional expõe livro mais caro já feito

Para conhecer melhor o livro, veja as imagens disponibilizadas pelo New York Times: www.nytimes.com/slideshow/2008/05/30/arts/20080531_MICHEL_SLIDESHOW_index.html

Como sempre, nem toda a gente vai correr para o ler na sua versão "Hardcover" ou capa dura: há quem já esteja à espera da edição "Paperback" em "capa mole" ou ainda quem esteja à espera da sua adaptação ao cinema! A edição electrónica não está planeada pois os editores portugueses consideram que o ebook "é uma moda que não vai pegar".

Só uma nota para quem gosta de preciosismos (neste caso muito 'preciosos'): existem livros mais caros como é o exemplo do “Dancing with the Bear: a serial entrepreneur goes East,” uma autobiografia do empresário Roger Shashoua. Neste caso são só 3 milhões de libras para uma capa com diamantes incrustados!
A edição em papel é mais barata: 13 Libras

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tabela CDU disponível online

A tabela CDU está disponível online e em português.
Corresponde à versão "Sumário" com 2000 entradas (das 68000 da tabela completa)

A Biblioteca Nacional de Portugal está de parabéns pelo trabalho realizado e disponível pela licença Creative Comons. Aqui ficam os créditos do trabalho:



Na entrada do site temos um painel do lado esquerdo com as classes e tabelas auxiliares:

Ao carregar numa dessas tabelas surgem as suas notações principais. Se clicarmos numa notação surge do lado direito a explicitação dessa notação e notações relacionadas, sendo possível de navegar entre as relacionadas.


Ainda existem funcionalidades por implementar, não existe pesquisa (e nem parece que vá existir), o número de notações é pequeno em relação ao publicado em livro mas a navegação é fácil e agradável.
Ainda não estão traduzidas as explicações e exemplos... mas quem quiser pode colaborar!.
Claro que quem já trabalhou com a tabela inglesa, em que as notações se podiam pesquisar por palavra ou me…

Se conduzir... não leia!

Se conduzir não leia... mesmo que seja James Patterson!

O condutor de 53 anos dá uma desculpa, de arrepiar, sobre a sua condução errática: estava a ler o último thriller de James Patterson.
Foi multado por não conduzir com o devido cuidado (EUA, Minnesota).

Se conduzir não leia!


YouTube - https://youtu.be/THSDhl07Vt0

Saiba mais sobre James Patterson.

Original em TODAY.com (22/01/2016) - Distracted driver's excuse to cop: I was reading James Patterson

Elsa Conde e Teresa Calçada no PNL2017

A implementação e monitorização do Plano Nacional de Leitura até 2027 ficará sob responsabilidade de uma comissão que inclui os Ministérios da Educação, Cultura e Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
A comissão interministerial a ser presidida por Teresa Calçada e Elsa Maria Conde estará dependente do Ministério da Educação, em articulação com as tutelas da Cultura e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Objetivo: "Fazer uma aposta abrangente na leitura, seja a literária, científica, em papel ou noutros suportes" (Teresa Calçada).

O PNL quer agora “levar a leitura a outras esferas da sociedade”, mostrando que esta “não é apenas património de alguns” e promovendo hábitos de leitura ao longo da vida: junto de famílias, crianças, jovens e adultos. E, sem descurar o papel das bibliotecas escolares, pretende-se criar condições para a promover nas instituições de ensino superior e da rede de centros de Ciência Viva.

“Em todos os locais onde seja possível dizer 'ler é bom…