Bibliocleptomania ou puro roubo?

Com tanta editora a querer esvaziar os seus armazéns de livros há quem se dedique a assaltar bibliotecas de forma industrial!

"Ladrão surripiou 1500 livros de biblioteca no Porto
Homem de 40 anos foi detido hoje no Porto, suspeito de ter furtado 1500 livros de uma biblioteca de Paços de Ferreira, 800 dos quais já foram vendidos na Internet."
Jornal Expresso

"A Polícia Judiciária recuperou hoje mais de 700 livros em casa de um vendedor desempregado que, nos últimos meses, furtou mais de 1500 obras de uma biblioteca pública de Paços de Ferreira. (...)
Durante as buscas da PJ à residência do suspeito, muitos dos 700 livros já se encontravam embalados para envio postal para ciber-compradores"

«Por esta actividade ilícita, que durava há cerca de um ano, o rendimento mensal médio do arguido e da companheira seria acrescido de cerca 500 euros, apesar de muitos dos livros serem vendidos por valores inferiores a 5 euros»

Mas não esteve só: a própria notícia diz ter sido a companheira do detido, funcionária da biblioteca, quem efectivamente "se apropriava dos livros para entrega ao companheiro".

Afinal até existe mercado para o livro usado!

A notícia surge de forma mais ou menos semelhante em:

Pergunta ociosa: será que ninguém desconfiou dos carimbos que os livros apresentavam?!


Para que conste Bibliocleptomania é um desejo incontrolável ou compulsivo para roubar e/ou possuir livros.
Neste caso tratou-se apenas de um roubo para venda!

A ler: Algumas histórias de Bibliocleptómanos

E apesar de se dizer que não há livros para curar esta doença que tal ler: