Quando se lê mais, lê-se muito melhor

«O Plano Nacional de Leitura fez cinco anos, metade da esperança de vida que lhe foi destinada. O comissário, Fernando Pinto do Amaral, acredita que a segunda fase continuará a contribuir para que os livros pertençam ao quotidiano dos jovens. E elogia os protagonistas desta história: os professores-bibliotecários.

O comissário atribui ao PNL o papel de “abrir as portas para a leitura” e elogia o trabalho dos professores-bibliotecários, “os verdadeiros agentes do Plano Nacional de Leitura”. “As escolas e agrupamentos escolares que tenham um determinado n.º de alunos têm um professor-bibliotecário. São eles que estão no terreno e contactam diretamente com as crianças.”

Passada a fase de equipar as bibliotecas escolares com computadores, audiovisuais, etc. (“um dos méritos do anterior Governo foi o de equipar as escolas, nem todas, mas muitas”), agora, querem “apostar mais no software do que no hardware”. 

Será também o momento de “aprofundar as ações a nível humano, para que os equipamentos e materiais não fiquem ali sem utilização.
Aí, é muito importante o papel dos professores bibliotecários, pois são eles que dinamizam as atividades e as práticas de promoção da leitura”.»
(Revista Pública - Miúdos: Quando se lê mais, lê-se muito melhor - Texto Rita Pimenta)

Artigo:


Artigo original:
http://jornal.publico.pt/noticia/25-09-2011/quando-se-le-mais-lese-muito-melhor-23006444.htm