Avançar para o conteúdo principal

Steve Jobs: 1955-2011

No dia em que Steve Jobs faleceu faz todo o sentido recordar um discurso de Steve Jobs depois de ter enfrentado o seu primeiro cancro. Este discurso, conhecido pelo título "Como viver antes de morrer" foi proferido na Universidade de Stanford em 2005 e assenta em três histórias que definem o que qualquer jovem deve saber e fazer na sua vida. Fica aqui um resumo. No final o vídeo completo e o link para a transcrição em inglês.

1- Ligar os pontos
No caminho da vida os vários momentos só fazem sentido quando se olha para trás. Quando se olha para a frente não se consegue ligar os pontos do caminho, mas temos de acreditar que os pontos se vão ligar de alguma forma no futuro.
É preciso acreditar em algo - no instinto, no destino, na vida, no carma - o que quiserem!

2- Sobre o amor e a perda
Por vezes a vida atinge-vos com toda a força. Não percam a fé, continuem a fazer aquilo de que gostam. É preciso descobrir o que gostamos de fazer, quer no trabalho quer na vida. O trabalho vai ocupar grande parte da vossa vida e a única forma de ele ser realmente satisfatório é fazer o que considerem um grande trabalho. E a única maneira de fazer algo grande é amar o que se faz. Se ainda não o encontraram, continuem à procura, não se satisfaçam com pouco! E como em todos os assuntos do coração, terão a certeza quando o encontrarem.

3- Sobre a morte
Ninguém quer morrer mas a morte é o destino que todos partilhamos, ninguém lhe escapou. E é assim que deve ser. A morte é a maior invenção da vida, é o motor da mudança na vida: remove o velho para dar lugar ao novo. O tempo é limitado, por isso não o desperdicem vivendo a vida de alguém. Não deixem as suas ideias abafar a vossa voz interior. Sigam o vosso coração e intuição, eles já sabem o que vocês realmente querem vir a ser.
Stay Hungry. Stay Foolish.

(texto adaptado do discurso de Steve Jobs na Universidade de Stanford em 2005)


versão com legendas em pt-BR (com algumas falhas)


Transcrição do texto em 'You've got to find what you love'

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tabela CDU disponível online

A tabela CDU está disponível online e em português.
Corresponde à versão "Sumário" com 2000 entradas (das 68000 da tabela completa)

A Biblioteca Nacional de Portugal está de parabéns pelo trabalho realizado e disponível pela licença Creative Comons. Aqui ficam os créditos do trabalho:



Na entrada do site temos um painel do lado esquerdo com as classes e tabelas auxiliares:

Ao carregar numa dessas tabelas surgem as suas notações principais. Se clicarmos numa notação surge do lado direito a explicitação dessa notação e notações relacionadas, sendo possível de navegar entre as relacionadas.


Ainda existem funcionalidades por implementar, não existe pesquisa (e nem parece que vá existir), o número de notações é pequeno em relação ao publicado em livro mas a navegação é fácil e agradável.
Ainda não estão traduzidas as explicações e exemplos... mas quem quiser pode colaborar!.
Claro que quem já trabalhou com a tabela inglesa, em que as notações se podiam pesquisar por palavra ou me…

Porque amo a minha biblioteca escolar?

"Why I Love My School Library" é o tema do MIBE - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares que se comemora em Outubro de 2018.
Um tema que, segundo a IASL, se enquadra no objetivo deste ano de análise aos impactos da biblioteca escolar.
Porque amo a minha biblioteca escolar? Outubro será um bom momento para pensar nas nossas bibliotecas e nos nossos utilizadores. Porque é que gostamos das bibliotecas escolares? E o que não gostamos nelas?  Duas perguntas importantes e a fazer desde já. Todas as respostas serão motivos para estratégias de melhoria a realizar ao longo do ano letivo que agora se inicia.


Infos: IASL - https://iasl-online.wildapricot.org/advocacy/islm/index.html

DigCompEdu Competência Digital para Educadores

Foi lançado, em português, o Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores - DigCompEdu, um documento destinado docentes, da Educação Pré-Escolar ao Ensino Secundário, Ensino Superior e Educação de Adultos, incluindo formação geral e profissional, educação especial e contextos de aprendizagem não formal.

Nele são apresentadas 22 competências, organizadas em 6 áreas, e um modelo de progressão para ajudar os docentes a avaliarem e desenvolverem a sua competência digital.
Este referencial, criado no âmbito da iniciativa DigComp da Comissão Europeia, pretende ajudar os estados membros na promoção das competências digitais dos seus cidadãos e impulsionar a inovação na educação.

Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores Responde à consciencialização crescente entre muitos estados membros europeus que os educadores precisam de um conjunto de competências digitais específicas para a sua profissão de modo a serem capazes de aproveitar o potencial das tecnologias digitais …