Autoavaliação Bibliotecas Escolares em Espanha

Trata-se de um processo de auto-avaliação com base em perguntas que foram agrupadas por referência ao modelo escocês que parte do questionar sobre "como se está a fazer o trabalho" e "como se pode saber".
Daí faz-se a avaliação de que irá surgir a questão sobre "o que fazer" e, em seguida, o plano de melhoria.

Para implementar são tomadas como referência quatro níveis de análise:

  1. Contexto educacional, em particular a existência de um programa institucional de bibliotecas escolares, características do local e do meio ambiente.
  2. Entrada, ou seja, o valor e a integração da biblioteca na escola e a análise dos recursos a ela alocados.
  3. Processos no âmbito da escola, salas de aula, redes de escolas, redes de bibliotecas e as comunidades educativas para avaliar a integração educacional, necessidades, competências, pontes com a comunidade, e assim por diante.
  4. Impacto, ou seja, as repercussões nos usos e nos utilizadores a partir de uma perspetiva ampla.

Documento de referência: Ines Miret, Monica Baro, Teresa Maña, Inmaculada Vellosillo - Bibliotecas escolares ¿entre interrogantes? Herramienta de autoevaluación. Preguntas e indicadores para mejorar la biblioteca. Ministerio de Educacion, Fundacion German Sanchez Ruiperez, 2011.
- Download PDF: http://www.lecturalab.org/uploads/website/docs/2684-2-Bibliotecas_escolares_entre_interrogantes.pdf




Esta ferramenta de auto-avaliação destina-se tanto aos responsáveis pela biblioteca como à equipa de gestão da escola. Pretende estudar a situação de cada escola em catorze dimensões de avaliação:
  • Valor e de integração na escola
  • Acessibilidade
  • Visibilidade
  • Apoio ao currículo
  • Análise de necessidades e oferta de serviços
  • Adequação dos recursos documentais
  • Coordenação pedagógica
  • Competências em leitura e escrita
  • Competências digitais de informação e de "aprender a aprender"
  • Competências sociais e cívicas
  • Utilização e utilizadores
  • Planeamento e avaliação
  • Trabalho em equipa
  • Comunidade de profissionais
  • Pontes com a comunidade
 
A criação deste instrumento de avaliação tem como referência estudos internacionais, mas foram particularmente estudados os modelos Inglês e Escocês. Outros estudos analisados:

Apresentado no encontro "Bibliotecas Escolares en Tránsito", Santiago de Compostela (10 a 12 de novembro de 2011)
[fontes originais: LECTURA LAB¿QUÉ NOS CONTAMOS? ]