Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2008

Making of do "What else" do Sr. Scrooge

Este artigo é apenas para explicitar o modo como foi criado o artigo anterior: What else? Merry Christmas!

Todo o artigo (desde a imagem ao texto e citação) foi criado directamente a partir da leitura do livro, em mais uma funcionalidade permitida pela integração de serviços do Google.

Assim durante a leitura de um e-book, digitalizado pelo Google, você pode seleccionar uma passagem do texto e enviar directamente para o seu blogue. Para quem está sempre autenticado no Gmail e com a mesma conta no blogger... é uma festa!

Nota: é conveniente carregar na opção "formato texto" antes da opção "formato imagem" de forma a que o texto da passagem seja incorporado como comentário ALT na imagem. Um detalhe que útil a quem estiver a ler o blogue através de leitores de feeds ou mesmo para facilitar as pesquisa na Web.

E quanto ao artigo? Os seus leitores poderão continuar a ler o texto citado, no seu contexto, bastando para tal carregar na imagem ou link da citação: o leitor será …

What else? Merry Christmas!

" What else can I be," returned the uncle, " when I live in such a world of fools as this ? Merry Christmas ! Out upon merry Christmas ! What's Christmas time to you but a time for paying bills without money ; a time for finding yourself a year older, and not an hour richer; a time for balancing your books and having every item in 'em through a round dozen of months presented dead against you? If could work my will," said Scrooge indignantly, " every idiot who goes about with ' Merry Christmas,' on his lips, should be boiled with his own pudding, and buried with a stake of holly through his heart. He should!"

A Christmas Carol In Prose : Being a Ghost Story of Christmas Por Charles Dickens

É aqui que vivemos

Uma editora, a 4th estate fez 25 anos e não foi de modas: decidiu apresentar como cartão de visita a sua cidade, a cidade dos livros. Daqui resultou uma Londres retratada em animação com cenários de papel com muitos livros à mistura.


A construção do cenário - London Set Build Timelapse:







A manipulação dos "actores": Gravação de cena de Londres - Timelapse







O vídeo final: This Is Where We Live.







Notas:
E vale a pena activar o HD para melhor qualidade !!Mais vídeos: 4th EstateOs registados no Vimeo podem fazer download dos vídeos originais.Galeria de fotos: http://www.25thestate.com/stills/

Directrizes para servicos de bibliotecas para jovens

Revisão das Directrizes para serviços de bibliotecas para jovens, uma edição de 2008 da IFLA (International Federation of Library Associations and Institutions)

Guidelines for Library Services for Young Adults / Pat Muller and Ivan Chew. The Hague, IFLA Headquarters, 2008. – 20p. 30 cm. – (IFLA Professional Reports: 107)
Online: IFLA - Guidelines for Library Services for Young Adults - http://www.ifla.org/VII/s10/pubs/Profrep107.pdf
Goals of the Guidelines
This publication, IFLA 'Guidelines for Library Services for Young Adults' provides a framework for developing services to young adults and libraries, for the international community. It provides the intellectual building block for a country, for its service through its librarians. The Guidelines contain both philosophical and practical ideas that can improve a library’s response to meeting the educational, informational, cultural, and leisure needs of young adults, in ways that are developmentally appropriate. It is to be used a…

As novas bibliotecas nas Esc.Sec.

As escolas secundárias estão a ser intervencionadas pela empresa Parque Escolar, ao abrigo do Programa de Modernização do Parque Escolar do Ensino Secundário, no sentido de revitalizar e modernizar as escolas. É uma intervenção de fundo e estrutural, que se vai estender a todas as escolas secundárias até 2015. As escolas são transformadas e as bibliotecas escolares não ficam de fora desta renovação com grandes alterações em termos de espaço e áreas de trabalho. Para se ter uma noção da dimensão da intervenção o espaço da biblioteca passa dos actuais 120/150 m2 passa-se para 350/400 m2.
Consulte as orientações da RBE: Escolas secundárias - orientações para a instalação das bibliotecas - 2008 Um exemplo é a renovada Escola Artística de Soares dos Reis (Porto) com a sua biblioteca reinaugurada a 10 de Dezembro: uma solução de dois pisos com cerca de 350 m2 onde, para além da área nuclear, existe sala polivalente, gabinete de trabalho, arrecadação e uma sala arquivo para reservados.
Fotograf…

Área 0 para a ISBD: proposta

A secção de catalogação da IFLA publicou a proposta para uma revisão da área 0 da ISBD "Content Form and Media Type" para identificação do tipo de material e forma de conteúdo.

Esta área é composta por três elementos que identificam:
Forma de conteúdoQualificação de conteúdoTipo de suporte
Se a forma será consensual, e a qualificação de conteúdo vai abrir lugar a descrições interessantes para certos tipos de material (mais sensitivos!), já o tipo de suporte (campo obrigatório) apresenta algumas variações ao actualmente estabelecido e poderá mesmo afectar parte da descrição dos documentos audiovisuais e electrónicos.

Se actualmente "Documento electrónico" é o termo para descrição de tipo de material no caso de um DVD com um filme e um trailer, surge aqui a integração dos DVD filme na categoria "vídeo":
Video: For video player-enabled resources
Media used to store moving or still images, designed for use with a playback device such as a videocassette player or D…