Arthur e o cartão de biblioteca

Arthur é uma série de animação educativa originária do Canadá/EUA que nos apresenta a vida de Arthur Timothy Read. A série televisiva vai no 13 ano de exibição em 82 países e é já uma das mais famosas da animação infantil.

Como hoje é sábado, o último do mês das bibliotecas escolares a música do dia tinha de ser especial: uma música que celebra o uso da biblioteca!

Vídeo - Having fun is it hard when you drop a library card:


Vídeo - Versão real e mais "teen":


Vídeo - E como estamos na noite das bruxas... uma versão Jekyll & Hyde

[ Ler Mais ]

Livros que assustam como tubarões

[ Ler Mais ]

Por Toutátis

São 50 anos a fazer rir!

O dia 29 de Outubro marca os 50 anos de Astérix. Sou um fã inveterado, e naturalmente que muitas recordações estão associadas. Para mim o Astérix ficou associado à Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (BGUC) local onde li a maior parte dos seus livros, e onde reli e reli (já agora onde aprimorei os talentos de tradução com leitura em várias línguas!). Foram momentos de descontracção entre a Suma teológica de Tomás d'Aquino, as apostas de Gaunilo e o fogo de Bachelard, as éticas de Espinoza e de Kant, Os espíritos de hegel e as dos pós-qualquer-coisa.
Na universidade eu até ia mais à biblioteca do que às aulas, até ultrapassava o tempo em que podíamos guardar o lugar quando se saía da biblioteca, mas no geral até era um cliente exemplar das bibliotecas. Mas realmente quando eu abusava mesmo era ao ler Asterix e suas aventuras. É que era mesmo muito difícil conseguir ler cada quadrinho sem desatar a rir. Como quando se descobria o Ideafix, num cantinho de uma batalha, a fazer voar um gato romano!
Já se adivinha que fazer isto na BGUC era mais difícil ainda: entre abafados ataques de riso, próprios ou dos vizinhos, a complacência dos funcionários era fundamental. É que era certo e sabido, dois livros a sério e uma para rir e estava feita a conta do viciado na BGUC . Que mania de partilhar os Astérix!

[ Ler Mais ]

Where The Wild Things Are (Filme)

Na nossa "Estante de Cinema" para mais uma quarta-feira cinéfila, e ainda sem publicação em Portugal, temos um clássico da literatura infantil adaptado ao cinema.

Filme de Spike Jonze - Where the Wild Things Are (2009)
Este filme teve de sofrer novas filmagens para suavizar o conteúdo cénico e assim evitar pesadelos a crianças (e pais)!
Mas não deixa de ser o evento do ano na literatura adaptada a cinema. Nos EUA lidera as bilheteiras pois é um filme de família e apela a muitos leitores que cresceram a procurar as "coisas selvagens".

Guião do filme sai como livro por Dave Eggers - The Wild Things

  • O livro será publicado a 29 de Outubro. Já o filme está previsto para Novembro, em Portugal
História do filme
O livro de Sendak marca pela história e especialmente pela ilustração. O tema? o crescimento de uma criança, o modo de lidar com emoções como a raiva e frustração, a criação de um mundo mágico para fugir ao mundo real.

Dois artigos a ler:

Actualização: via comentário neste blogue chegou a informação de que a Kalandraka já tem o livro de Sendak para publicação em Portugal. Pode ser tarde, mas é sempre bom ver que passados 36 anos os portugueses vão poder ler este livro !

[ Ler Mais ]

Agora (Filme)

Na "Estante de Cinema" desta quarta feira está também o filme "Agora" (2009) que retrata eventos do século IV no Egipto, centrado na história da astrónoma e filósofa Hypatia de Alexandria.

A partir da biblioteca de Alexandria, Hypatia, leva a cabo uma luta para salvar a sabedoria do mundo antigo ameaçada por perseguições religiosas. Um filme épico e de grande orçamento que nos chega de Espanha pela mão do realizador Alejandro Amenabar. As imagens e as críticas disponíveis prometem.

Não fora o espanhol ser um idioma que não gosto de ouvir e já estava numa sala de cinema espanhol onde já é sucesso de bilheteiras desde 10 de Outubro.
É mais um filme para ficar atento a estreias em Portugal. Nos EUA está previsto só para 18 de Dezembro de 2009... o que ainda dará para um Óscar, numa corrida onde "Amelia" e "Precious: Based on the Novel 'Push' by Sapphire" (o nome é mesmo assim... aceitam-se apostas para a tradução em português!) já se aprontam na primeira linha. E este ano os nomeados para melhor filme serão 10 e não 5 filmes.

Material gráfico sobre o "Agora":

A verdadeira Hypatia de Alexandria foi uma erudita grega que viveu em Alexandria, considerada a primeira mulher a destacar-se nas matemáticas tendo também ensinado filosofia e astronomia. Viveu num Egipto sob influência romana e dirigiu a escola platónica de Alexandria. A sua influência na cidade bem como nos ensinamentos da época foi elevada.
Foi brutalmente assassinada em 415 por uma multidão de cristãos Coptas acusada de incitar a tumultos religiosos.
Na história é recordada por ser uma defensora da ciência contra a religião sendo a sua morte referida como um marco do fim do período helenístico.
Como tal foi igualmente celebrada no famoso quadro "Escola de Atenas" de Rafael Sanzio http://en.wikipedia.org/wiki/School_of_Athens

[ Ler Mais ]

Ler diferencia-nos: Madrid

À terça é dia de Publicidade

Anúncio para fomentar a leitura pela Comunidade de Madrid, La Suma de Todos.

[ Ler Mais ]

Dia Mundial da Herança Audiovisual 2009 - Unesco

Celebra-se a 27 de Outubro de 2009 o Dia Mundial da Herança Audiovisual, evento instituído pela Unesco para consciencializar sobre a importância dos arquivos de media e promover a recuperação de documentos audiovisuais. Estes documentos embora sejam recentes fazem já parte da herança de uma civilização mas que correm o risco de desaparecer rapidamente pois degradam-se rapidamente.

Este ano o lema é "Fading Heritage: We Can Save It" (Herança que se desvanece: podemos salvá-la)

[ Ler Mais ]

The Big Picture: bibliotecas, florestas e árvores

O mês internacional das Bibliotecas escolares tem este ano como lema a expressão " The big Picture". No dia (26 de Outubro) em que se concentram os festejos nacionais será importante deixar aqui reflexões sobre o modo como este lema deve orientar a acção das bibliotecas no futuro. Independentemente da forma como for traduzida ("Panorama", "Uma visão panorâmica" ou "Uma visão global") a expressão " The big Picture" não qualificará aqui o que as bibliotecas são mas sim define o que elas devem fazer/promover!
A biblioteca deve assumir-se como "Uma visão de conjunto". É sua missão no panorama de aprendizagens e formação escolar dos cidadãos de um país.

Ver a floresta e não apenas as árvores
Para conseguirmos ter sucesso, para podermos melhorar é necessário conseguir ter um tempo para recuar e olhar para tudo o que está à nossa volta de modo a conseguir ter uma imagem geral. A partir daí podemos estar abertos a novas ideias, a novos factos, antecipar o futuro e adaptar a acção.
É isto que as bibliotecas têm necessariamente de produzir: pessoas capazes de pensar!
E isso só é possível com pessoas treinada, preparadas para ler criticamente os media, pesquisar e avaliar informação, recorrer a diversas fontes

Vai ser possível?
Não a curto prazo. A consciência não se forma instantaneamente, não existem receitas pré-cozinhadas. É uma refeição gourmet, é preciso ter tempo para que o sabor seja apreciado. A escola a 12 anos, a licenciatura de "bolonha", são tudo etapas de uma formação. Mas o ser humano não fica formado apenas por ter uma formação académica em quantidade. Nem mesmo por ser uma formação de qualidade. Isso são apenas ingredientes, elementos de um composto, mas a forma como esses elementos se unem e interagem é algo pessoal.

A educação está compartimentada em segmentos, em especialidades. As bibliotecas escolares são um recurso dos utilizadores mas também um meio de intervenção e de interligação de iniciativas.
Aos professores bibliotecários, em conjunto com os responsáveis educativos, cabe a missão de olhar em redor e tentar perceber os caminhos a percorrer.
O risco de o não fazer seria concentrar todo o nosso esforço num caminho e não ter tempo e capacidade para perceber que esse caminho até pode ser um beco sem saída. E quanto mais tempo prosseguirmos nesse caminho mais difícil será conseguir ter forças para recuar e tentar outros caminhos.

Já chega de árvores: é tempo da floresta
«Os técnicos e burocratas podem ser desculpados por darem muita importância aos números: quantos edifícios foram renovados, quantos directores foram contratados, quantas reclamações foram resolvidas, etc.
Mas dos líderes espera-se que criem e promovam uma visão palpável enquanto inspiram os outros a realizar esse sonho». [Barras, Jonetta Rose (2009). The big picture on education]
Pessoas capazes de pensar
Em psicologia popular a expressão "Big picture" surge mesmo como um dos pares de caracterização de modos de trabalhar e pensar: uns indivíduos são minuciosos ou "details-oriented type" e os outros são generalistas ou "big picture type"
Esta designação tem por base a caracterização dos estilos de pensar definidos pelo modelo de dominância cerebral estabelecido por Ned Herrmann que assenta numa divisão do cérebro em quadrantes cerebrais (a teoria não é nova mas para os curiosos: http://en.wikipedia.org/wiki/Herrmann_Brain_Dominance_Instrument )

Porque uma floresta faz-se de árvores, mas não é uma conjunto de árvores, precisamos de pessoas que tenham essa percepção a todos os níveis da estrutura educativa.

O que aqui deixo não é uma grito por líderes, é um alerta a todos.
Estarão os professores bibliotecários à altura deste desafio? Vão/vamos ser capazes de fazer a sua/nossa parte?

Ficam aqui alguns textos para fazer pensar e fomentar a necessidade de uma visão panorâmica/alargada:

[ Ler Mais ]

Nativos e imigrantes digitais

Publicidade ao portal Wap da Personal (Argentina).
Estes adultos (imigrantes digitais) às vezes são tão engraçados!

[ Ler Mais ]

Ler 60 palavras por minuto




Conselhos para melhorar a leitura em crianças: estabelecer a meta de leitura de 60 palavras por minuto e analisar a sua compreensão. Vídeo produzido pelo Banco Mundial para o projecto: Um novo contrato social para o Perú (um livro a ler)

E se estes testes fossem feitos nas nossas escolas?!

[ Ler Mais ]

Google Wave: comunicação total

Pois é... lá comecei a utilizar o que promete ser o Tsunami das comunicações web: o Google Wave. A aplicação é da responsabilidade dos mesmo autores do Google Maps
Está em fase "Preview" só para convidados mas já é das aplicações mais badaladas. Calma que já mandei os meus 20 convites, não vale a pena pedir. E quem não recebeu... não é porque não esteja na minha "short list" de amigos, é apenas porque os convites não são logo enviados, ficam em lista de espera, são apenas uma proposta ao Google Wave! Afinal a aplicação vai ser lançada lá para maio de 2010!

O que é o Google Wave? É uma aplicação web, uma plataforma de comunicação e colaboração, um chat evoluído que mistura vídeo, conversa directa e em grupo, arquivo de mensagens, documentos, email, multi sistema operativo, etc, etc. As funcionalidades são impressionantes mas mais de metade delas ainda só aparecem em vídeo.
Vai ser um sucesso?
Talvez não venha a ser uma aplicação famosa entre os mais novos (mais interessados em ter seguidores e comentadores), mas para empresas e projectos que assente em trabalho à distância deve vir a ser uma ferramenta usual.
As empresas que tenham servidores próprios podem utilizar a aplicação a nível local em intranet e internet e provavelmente será uma ferramenta de utilização preferencial para comunicações.
Vai ser mais fácil de gerir informações?
Talvez não, é uma aplicação simples mas certamente não vai ser fácil de utilizar por todos pois é muita coisa ao mesmo tempo para quem não seja hábil com tecnologias e navegação web. Esse é o ponto que deixa apreensivos os seus criadores.
A Google investiu muito nesta aplicação e vai dar tempo ao tempo para que todos se habituem e afinem o seu funcionamento.
No fundo revela uma tendência de várias aplicações web recentes: são criadas para adultos que trabalham e que precisam de as integrar na sua prática de modo a serem mais produtivos (ou "web eficientes"). A eficiência real e aumento de produtividade no escritório essa ainda está para ser comprovada.

Coisas que acho desde já interessantes: silenciar uma Wave e fazer um playback de uma wave. Quanto à partilha de ficheiros e wikis ficam para futuras analises.

  • Aqui fica um guia para iniciar a sua actividade no Wave
  • E um vídeo com algumas das funcionalidades básicas só para quem ainda não tem uma conta Wave


Se tiver 1h20 minutos para ver o futuro (a primeira parte é a mais interessante para o público em geral) ... aqui fica o famoso vídeo de apresentação do Google Google Wave Developer Preview at Google I/O 2009

O certo é que nos arriscamos a ter novas palavras de informatiquês: "Weiva isso" (iniciar uma Wave)! Blipa-me! (mandar um Blip ou mensagem instantânea). Aliás vou já registar os termos!

[ Ler Mais ]

Eu Bookshop: a livraria europeia

A loja EU Bookshop permite o acesso a publicações de instituições e agências europeias. Disponibiliza ainda um catálogo e arquivo de todas as publicações da União Europeia.

[ Ler Mais ]

Lisa Hannigan - I Don't Know

Música para o Sábado: Lisa Hannigan - I Don't Know

Mais um vídeo à altura da qualidade da música!

Designer:

Relacionados:
  • Para quem gosta de brincar com livros um grupo do Facebook
  • Para quem já voltou a repetir a música... não se esqueça de ver/recordar um outro vídeo de Lisa Hannigan (Lile) também com muito trabalho de Maeve Clancy

[ Ler Mais ]

Novo site do PNL


Novo site do Plano Nacional de Leitura. Um novo design, novos canais e sites para promover a leitura. à primeira vista só se pode dizer bem da mudança (o anterior era mesmo uma desgraça técnica). Agora temos um design bem apurado, uma boa arrumação de projectos e facilidade de navegação. Só falta optimizarem os URL das páginas.
Como nota lateral: a vida tem destas coisas... acabadinho de sair e já vai ser preciso actualizar a ficha técnica do site! Mas é por uma boa causa!

Este é o vídeo promocional da PNL TV

[ Ler Mais ]

Ler leva-te longe

Da Argentina:


Projecto Contextos: www.contextos.edu.ar
Pode ainda ver vídeos com leitura de contos: http://www.contextos.edu.ar/Videos.asp

[ Ler Mais ]

Era - The Mass



Música: The Mass
Intérprete: Era
Edição: 2005 (ver e ouvir álbum)

Letra: http://vagalume.uol.com.br/era/the-mass.html
com tradução: http://vagalume.uol.com.br/era/the-mass-%28traducao%29.html


Uma música estilo New Age com um livro de magia a ser fundamental ao desenrolar da história. Todos reconhecerão algumas das lendas inglesas de cavalaria mas a minha memória navega até uma leitura de Ivanhoe de Sir Walter Scott uma obra que sempre considerei fundamental!

Para completar o ambiente, fica outra música do mesmo álbum: Ameno

[ Ler Mais ]

Jogos digitais nas escolas: manual para professores

Estudos da European Schoolnet (EUN) sobre a utilização de jogos electrónicos nas escolas.

Manual para professores
Digital Games in Schools: Handbook for teachers
http://games.eun.org/2009/09/teachers_handbook_on_how_to_us.html

Relatório
How are digital games used in schools? (European Schoolnet - Maio 2009)
http://games.eun.org/2009/05/research_results_released.html

Comunidade de prática
The Games in Schools Community of Practice report
http://games.eun.org/2009/06/the_games_in_school_community_1.html


Games in Schools community of practice: http://gamesinschools.ning.com/

[ Ler Mais ]

Computador interactivo a sério.. um dia destes!

O sexto sentido está em construção:

Será este o caminho para tornar a informação disponível online em algo útil e prático no dia a dia?

Vídeo apenas com o dispositivo em funcionamento
www.youtube.com/watch?v=ZfV4R4x2SK0

Sobre os autores: Pattie Maes e Pranav Mistry
www.ted.com/talks/pattie_maes_demos_the_sixth_sense.html

Sobre o projecto SixthSense
www.pranavmistry.com/projects/sixthsense/index.htm

[ Ler Mais ]

África: Toto na biblioteca

Sábado é dia de música aqui no bibliotequices
Videoclipe dos anos 80 filmado em ambiente de biblioteca.
O objectivo é encontrar o resto da imagem de uma estátua africana, muito ao estilo Indiana Jones, e que acba por fazer parte de um livro chamado "Africa".


Música: "Africa"
Intérprete: Toto
Edição: Álbum "TOTO IV". A música atingiu a primeira posição no top Billboard Hot 100 em Fevereiro de 1983

Pessoalmente nunca tinha visto este vídeo (naqueles tempos não tinha MTV nem Zon!) e foi uma surpresa pois é uma música bem familiar. E a música continua tão boa quanto antes.

[ Ler Mais ]

Se todas as leituras fossem tão interessantes

Anúncio para fomento da leitura promovido pela Consellería de Educación e Cultura da XUNTA DE GALICIA

http://www.youtube.com/watch?v=go2xZcspIsE

[ Ler Mais ]

Código de barras Google

No dia 7 de Outubro o Google apresenta um logótipo especial: um código de barras.
Este logótipo especial insere-se numa tradição da Google em homenagear determinados eventos e pessoas representando-os no seu logótipo ou no que se convencionou chamar como Google Doodle ou logótipos festivos. Como sempre o termo Google tem de estar representado e desta vez não foi excepção: é um código de barras Código 128.

Qual o evento comemorado?
O registo da patente do código de barras por Norman Woodland e Bernard Silver concedida em 7 de Outubro de 1949 (foi submetida em 20 de Outubro de 1949). Recordar que o sistema inicial foi inspirado no código de Morse e apesar de identificar o sistema linear propunha a codificação dos dados num círculo (num padrão semelhante ao alvo dos jogos de setas).
O sistema fora inventado a pensar em lojas de retalho de produtos alimentares, mas como era caro começou por ser implementado em vagões de comboios (1967), mais tarde em sistemas de portagens em Nova Jérsia, nos correios dos EUA e finalmente em caixas de comida de animais. Daí chegou finalmente às prateleiras dos supermercados: no Ohio, em 26 de Junho de 1974 um pacote de pastilhas foi pela primeira vez lido num supermercado, usando o sistema IBM UPC.
O código de barras acabou por ser um sistema de identificação popularizado pelas cadeias de supermercados. Nas bibliotecas constitui um dos sistemas mais utilizados para identificação automática de documentos mas que tem no sistema RFID um grande rival embora este ainda caro.

[ Ler Mais ]