Leitura de e-books: os problemas


Nota: na continuação do artigo: 2010 o ano da tinta digital: leitores de e-book
em que se apresentavam os equipamentos técnicos para leitura de livros digitais, fica aqui "um" (e não "o") outro lado da questão.


Os problemas a considerar:
Livros disponíveis: em português e actuais existem muito poucos. Não justifica o investimento. Em inglês existe tudo o que é novidade e gradualmente "quase tudo" o que existe em bibliotecas internacionais.

Tipo de formatos - Quando comprarem um leitor de ebooks... devem escolher um que permita o máximo de formatos dos livros.
Os mais necessários: TXT, PDF, HTML, EPUB (.epub), Mobipocket (.mobi), eReader (.pdb)
Formatos: http://en.wikipedia.org/wiki/Comparison_of_e-book_formats

Formatos abertos - quanto mais formatos e mais populares melhor. De preferência devem poder ser lidos também no computador. Muitas das livrarias online vendem livros em formatos PDF ou especiais.
Assim não justifica comprar o Kindle pois lê poucos formatos (é mesmo para AmazonDependentes)

Protecção de conteúdos: se o documento não pode ser visto num computador então é melhor esquecer.
Se os livros tiverem protecção contra cópia (DRM) é uma má compra pois quando o seu proprietário quiser mudar de leitor no futuro não podem migrar os livros (ou vai ter custos acrescidos). O equipamento passa, os conteúdos devem poder ficar para o futuro!

Fotos e ilustrações:
As tecnologias e-ink permitem leitura perfeita mas só com graus de cinza. As fotos e ilustrações ficam de fora. Alguns leitores possuem já um segundo ecrã para os conteúdos multimédia mas esse segundo visor é um LCD, pequeno e gasta bateria.
Os próprios livros com fotos ainda não são comuns em formato ebook. Pelo menos mais um ano de espera!

Preços:
Os livros são menos de metade do preço. Os leitores já vão andar abaixo dos 170 euros (fica pago ao adquirir 30 livros sem contar com os gratuitos)

Ligações:
As ligações sem fios e internet são muito requisitadas nos EUA (para downloads de livros e acesso internet) mas em Portugal serão apenas luxos e consomem mais bateria. Como o nosso acesso web é feito quase só pelo computador...  é fundamental ter um método de ligação ao computador, de preferência por USB ou cartões de memória.

Claro que aqui o problema está nas editoras quererem ou não editar os conteúdos em formato digital, o que não fazem pois não conseguem controlar os downloads.

Máquinas:
Os que realmente contam na actualidade: Sony Reader, Kindle, Nook (novidade),
A ter atenção nos próximos tempos: QUE Plastic Logic (Janeiro 2010), Alex (sem data e equivalente ao Nook)


Tendências futuras
A bola de cristal costuma ser o maior inimigo das empresas de tecnologia pois costumam não colaborar com os adivinhos, mas as tendências da moda para o final de 2010 são:
  • Leitores com ecrãs em plástico flexível
  • Multimédia vai estar em força em leitores tipo "tablet"
  • Um leitor tipo Nook abaixo dos 100 euros?!
  • Jornais e revistas... estes vão ser responsáveis por uma mudança do mercado!
  • As fotos a cores serão (ou não) a causa de grandes mudanças nos hábitos.
As empresas da área pretendem ter muitas destas novidades prontas para o Natal de 2010, o que mostra o sucesso económico do mercado tecnológico da leitura: são "a" prenda para adultos! Claro que algumas destas inovações só vão chegar em 2011 pois nem sempre o mercado justifica saltar etapas de comercialização.


Modelo de distribuição e de formatos
A guerra que surge para o futuro é: seguir o modelo Kindle (disponibilizar os seus livros em vários leitores... mas só ler formatos específicos) ou seguir o modelo Nook (os livros de todas as livrarias/formatos podem ser lidos no seu leitor).
A última aproximação será a melhor pois permitirá aos leitores escolherem outros equipamentos no futuro.. isto desde que sejam livros em formatos abertos!

Em todo o caso temos de estar disponíveis para a infindável série de falhanços de marketing, empresas que abrem e fecham, equipamentos que nunca passam das conferências de imprensa e broncas de formatos.
Mas o livro digital está aí e o papel vai passar para segundo lugar... mais ano menos ano!